'Às vezes tu dizias: os teus olhos são peixes verdes! E eu acreditava. Acreditava porque ao teu lado todas as coisas eram possíveis'

30 abril, 2008

Casa de sombras

Alina Manolache
Livros amontoados, cds empacotados, malas e mais malas com roupas e tralhas dentro. E um risco no calendário. Pouco mais tinha ficado daquele ano que tinha passado em casa alheia. Fazia um esforço de memória e lembrava-se de meia dúzia de coisas: um punhado de abraços, um ou outro beijo e muitos, muitos enganos.
Uma espécie de limbo, de casa do esquecimento. Tinha aberto a porta com ele cravado na pele e com a certeza de que o tempo de nada adiantaria. Saia agora quase sem se lembrar do seu rosto e com uma paixão de enganos do lado esquerdo da blusa.
Não tinha sido bem isto o que havia desejado no seu íntimo. Queria possibilidades reais. Não devaneios. Não amores como aqueles que contavam os livros que ia coleccionando. Ou pelo menos pensava que não era isto que queria. Precisava de acreditar nisso para se sentir parte de alguma coisa. Daquilo a que vulgarmente se chama de 'pessoas normais'.
Foto: Alina Manolache

15 comentários:

Vanessa disse...

eu, daquela casa, levo especialmente guardada no coração uma noite de setembro inesquecível [ :D ] ... um terraço que acolhe pensamentos secretos ... uma sala cheia de livros e montes de filmes que emocionam até às pontas dos cabelos e às unhas dos pés (!!) ... aquela parede linda com fotografias que contam histórias ... a cozinha onde aprendi a fazer uns bifes deliciosos à custa daquele caderninho (mágico) de receitas ... e até o elevador onde caem coisas misteriosamente mal as pessoas pousam lá as mãos ... levo muitos sentimentos e palavras que não se traduzem porque me senti da casa, sempre à vontade, como se pertencesse ali em alguns momentos ... levo também muitos abraços e sorrisos, alguns silêncios e dúvidas e meia dúzia de coisas muito boas: uma delas é a certeza da tua amizade. e outra é a força de vontade que nos faz acreditar em possibibilidades infinitas ... e porque bons pensamentos trazem coisas boas: bem-vinda a essa nova vida (a sério!! :p) e a essa casa que com certeza te há-de receber de braços abertos, menina! faz o favor de lá deixar a tua marca... :)

beijinhooooo*

Anabela disse...

bolas! assim não há hipótese! Com as palavras tão lindas tuas e da Vanessa:P

Bem...

Espero que o novelo do seu corpo se enrole em torno do meu:)

Beijossss

Vanessa disse...

e arranjei banda sonora... lol!

There is a house built out of stone
Wooden floors, walls and window sills
Tables and chairs worn by all of the dust
This is a place where I don't feel alone
This is a place where I feel at home

And I built a home
For you
For me
Until it disappeared
From me
From you
And now, it's time
To live
And time
To die

I'm in the garden where we planted the seeds
There is a tree as old as me
Branches were sewn by the colour of green
Ground had arose in past its knees

By the cracks of the skin I climbed to the top
I climbed the tree to see the world
When the gusts came around to blow me down
Held on as tightly as you held on me
Held on as tightly as you held on me

And I built a home
For you
For me
Until it disappeared
From me
From you
And now, it's time
To live
And time
To die


The Cinematic Orchestra - To Build a Home

:)

*

'agape disse...

da-me o teu mail


<3

/adoro o bolg/

Andreia Ferreira disse...

Anabela: Novelo do meu corpo... que bonito :) Beijinho

Vanessa (Antonina bailarina):
(Gosto muito desta música... é daquelas de cortar os pulsos que eu adoro :D Só espero é que não seja "time do die")
Fica a menina sabendo que essa também foi uma das noites mais bonitas para mim :) Não nos conheciamos há muito tempo e acho que foi a primeira vez que demos um abraço a sério... (Obviamente que nesta parte já estou para aqui a chorar...). Se pudesse, tinha sempre a casa cheia - acho que é para espantar a solidão que parece viver comigo. Não tem que ser uma coisa má, mas às vezes é...
Ainda bem que te sentias em casa quando ias lá... É umas das melhores coisas que me podem dizer... :) Espero que na nova também seja assim! Já tenho uma lista de novos filmes para vermos e receitas para experimentarmos!!! E podemos sempre fazer uma churrascada à lareira. Nunca se sabe :D Ou então "levar" a lareira para a praia e ficar por lá a fazer aquelas tais loucuras de que falávamos há uns tempos...
Também te levo a ti, menina, e tu sabes disso :)
E sim, bons pensamentos trazem coisas boas e eu quero que Maio também seja um lugar de coisas bonitas, por isso, não vai ser a casa que vai abrir os braços. Pelo menos não só. Vou ser especialmente eu :)
Beijinho grande grande grande!

Andreia Ferreira disse...

'agape: O mail é andreiabarros@aeiou.pt :) Beijinho

Ana disse...

[uma paixão de enganos do lado esquerdo da blusa] como é possível esta conjugação de palavras?!? lindo!

quanta bagagem transportamos, bagagem invisível, bem mais espaçosa que os cds, livros e malas... possibilidades, enganos, erros é tudo o que nos faz mover. uma nova casa significa um pouco mais disso, e de tudo o resto que faz parte da outra face: acolhimento, alegria, harmonia, vida... muita vida para esse novo sítio;) *

Vanessa disse...

uuuuuuhhhhh uuuuuhhhh ahhhhhhh ahhhhhhhhhh! :D weeeeeeee! adoro esta música! LOL! (antonina bailarina!!! eu estou ainda mais atónita com esta conjugação perfeita de palavras tão lhindaaaaas! tu és sem dúvida uma poetisa sem igual, rapariga! :p) ahahahah! e com esta me calo, que vim aqui aparvalhar um bocadinho! :D *

Andreia Ferreira disse...

Vanessa: Oh my god, tu estás parva e eu é que bebi champanhada! ahahahahahah. A conjugação fica um espectáculo, mas não tem nada a ver com poesia moça!!! Sou sem igual porque não sou! hihihih!
"Heart of glass" Este nome é brutal, não é?!?! E apetece-me ir para o Contagiarte! E tenho dito! :D *****

Vanessa disse...

ahahaha! encadeamento perfeitamente lógico de ideias, de facto! (o meu nome é pura poesia, moça! :p) e bibó contagiarte, carago! *

Hannah disse...

Pronto... realmente tu e a Vanessa já disseram tudo (também por tudo o que já partilharam). As tuas palavras são lindas, e não duvido que na tua nova casa faz abrir os braços para receber quem adoras. Beijinhos enlaçados em sorrisos*

Andreia Ferreira disse...

Hannah: Obrigada :) E espero que sim, que seja uma casa aberta! Beijinho grande

S. disse...

Que os enganos fiquem do lado de fora da porta e que entre essas paredes só caibam as paixões...tão bonito, as usual! chuac :*

Andreia Ferreira disse...

S.: Que os astros te ouçam :) beijinho!

eva disse...

espero que na tua nova casa não tenhas de receber as pessoas que te enganam ou te causam desilusão... a tua casa na granja deve ser muito bonita. apenas pelo facto de ficar junto à praia!!!

Arquivo do blogue