'Às vezes tu dizias: os teus olhos são peixes verdes! E eu acreditava. Acreditava porque ao teu lado todas as coisas eram possíveis'

27 janeiro, 2009

Sobre como se morre diariamente durante 8 horas

Photobucket
.
.
.
.
olhares em volta e não saberes o que continuas a fazer rodeada de pessoas baças.
.
.
.
.

10 comentários:

tinta disse...

olhares em volta e não saberes o que continuas a fazer













resume-se a isto.

no meu caso, olhar em volta e não saber o que ando a fazer

Vanessa disse...

ainda bem que nos sobram outras tantas horas, né? :)

beijinho*

Abssinto disse...

Tchi é como estar a cair ao contrario, em direcçao ao céu.

bjs

Hannah disse...

Faz-me todo o sentido.. incrível. Não pelo olhar em volta e não saber o que ando a fazer, mas sim, pelas pessoas baças que me rodeiam. E que nos matam de alguma forma. Que me fazem tentar descobrir um caminho longe delas e não morrer diariamente por hora nenhuma. Excelente frase, Andreia. Com todo um sentido e significado. Parabéns. Beijos**

SombrArredia disse...

Fiquei estática a olhar prá tua frese..

CNS disse...

Estou com a Vanessa. Salvam-nos as outras horas um pouco mais translúcidas... :)

um beijo

Canelita disse...

nem sei que mais te disser...as nossas conversas sobre estas nossas mortes diarias já estão gastas...
Acredito que algo de grande nos guarda a vida!;) waitting for that!

tinta disse...

não está mal pensado.

quando chegar va minha vez, vou pedir para morrer em prestações


como os electrodomésticos, em suaves prestações mensais. por acaso serei menos que um frigorífico ou termo-acumulador?

pensando ainda mais nisso. será que já morremos, e estamos a pagar sem nos termos dado conta?

as velas ardem ate ao fim disse...

eu sinto me morrer tdos os dias e nunca mais vem o ultimo-...

um bjo

Andreia disse...

abraços a todos.

(tinta, se já morremos, então sempre é verdade que de vez em quando há paraíso... :) )

Arquivo do blogue