'Às vezes tu dizias: os teus olhos são peixes verdes! E eu acreditava. Acreditava porque ao teu lado todas as coisas eram possíveis'

03 dezembro, 2008

The clouds all around her are warm*

Photobucket

.

.

.

Estávamos no início de Dezembro
e as árvores morriam sozinhas lá fora.
Havia um manto de tristeza e inércia
a cobrir as ruas da praia,
enquanto os mortos iam abrindo as portas
e tomando conta dos corpos gelados.
.
Só o meu coração parecia resistir à força mortífera da natureza,
continuando a bater dentro do calor dos teus braços nus.

.

.

.

[Foto: lina scheynius]
[*Kimya Dawson]

.

.

15 comentários:

CNS disse...

Tão quente este bater... Tão bonito, Andreia...

Ana disse...

aiii... tão bonito Andreia :) *

tufa tau disse...

parece-me o melhor sítio para um coração bater

beijo

Vertigo disse...

Perfeito.

portallisboa disse...

O portallisboa (www.portallisboa.net) anuncia que estão abertas as inscrições para a participação na obra “Entre o Sono o Sonho “ – Antologia de Poetas Contemporâneos. Consulte o regulamento em: http://www.portallisboa.net/modules.php?name=sonosonho

as velas ardem ate ao fim disse...

a foto é de chorar por mais.

um bjo

Andreia disse...

beijinhos, beijinhos, beijinhos. e obrigada :) *

Por entre o luar disse...

Quando estamos protegidos pelo calor humano, o coração nunca deixa de bater, pelo contrário bate mais rápido;)

beijinho e sorrisO*

comboio turbulento disse...

este blogue continua ser um recanto doce. Por isso, cá venho

joão marinheiro disse...

Dezembro é assim. O frio retempera as forças e mata os bichos da terra que corroem as arvores que morrem de pé ainda...
As palavras perfeitas, a paz perfeita aqui.
Beijo na chuva.

Andreia disse...

abraço aos três :)

menina limão disse...

ahhhh, mas que bela foto. "de chorar por mais", pois.

Queen Frog disse...

.....

este poema é lindoooooooo

Andreia disse...

queen frog, ohhh, obrigada :)

menina limão, I agree! :))

Beijinhos e Feliz Natal às duas.

Nuno Filipe Alves disse...

:) gostei mais da imagem do que o poema..... mas...

Arquivo do blogue