'Às vezes tu dizias: os teus olhos são peixes verdes! E eu acreditava. Acreditava porque ao teu lado todas as coisas eram possíveis'

03 junho, 2008

.
há feixes de luz na janela do quarto.
pedaços de vida lá fora.
há cães que uivam e corpos
que se destroem
porque o amor diário
é sangue e carne que se rasga.
há depois a casa abandonada,
tu lá dentro com as palavras
e a esperança dos dois braços dele
a encaixarem nos teus e a
formarem-te o sorriso.
.

7 comentários:

ivone disse...

é quase como que amor a ferro e fogo...


não é??

Andreia Ferreira disse...

é quase como que amor... :) ***

nana disse...

a sussurarem-te as asas

no abandono da luz





..

S. disse...

que sorrisos só nascem de abraços...

Flávia Vida disse...

bom ficar muito tempo sem vir...
e quando vir ler minha alma nestas suas palavras ...

lindo menininha da alma d´agua
beijinhos
:*)

Andreia Ferreira disse...

flávia: já andava com saudades tuas... :) Beijinho!

s.: também. não só. Beijinho.

nana: que bonito :) Beijinho

O mar me encanta completamente... disse...

Que Poetar encantado!
Romântico, suave e deleitante...
Seu cantinho é muito aconchegante e gostoso te ler
Parabéns.
Se me permitir continuarei te lendo.
Meu carinho.

Arquivo do blogue