'Às vezes tu dizias: os teus olhos são peixes verdes! E eu acreditava. Acreditava porque ao teu lado todas as coisas eram possíveis'

31 outubro, 2008

O medo não cabe nas manhãs

Carlos Bell Ower
.
um pescador desfia o isco como quem possui a eternidade.
há solidões que olham o mar como que à espera de um salvador.
as gaivotas preenchem a praia,
lembrando que o Inverno é um tempo de ausências.
ainda assim, há uma névoa de esperança no ar
trazida pelo sol que vai despontando entre as nuvens.
.
.
[Foto: Carlos Bell Ower]
.
.

4 comentários:

um Ar de disse...

Enquanto
há sempre
essa névoa..
... de esperança
no ar...
.
[Beijo...]

Andreia Ferreira disse...

um Ar de, espero que exista sempre. beijinho

as velas ardem ate ao fim disse...

Esta imagem fez me chorar.

um bjo

Andreia Ferreira disse...

um abraço. :)

Arquivo do blogue