'Às vezes tu dizias: os teus olhos são peixes verdes! E eu acreditava. Acreditava porque ao teu lado todas as coisas eram possíveis'

09 outubro, 2007

Grito calado


Sento-me nesta sala apagada e escura. sozinha.
Lá fora é tarde e a cidade já dorme.
E penso que sou como este tapete onde me sento:
Pisada, asfixiada.
Quando foi que perdi a capacidade de gritar?


If I lay here
If I just lay here
Would you lie with me
and just forget the world?
[Excerto: Snow Patrol
Foto: Katia Chausheva]

15 comentários:

o peixe que queria ser um tira linhas disse...

há tapetes de dias assim. Mas desconfio que nunca perdemos a capacidade de gritar,só fica temporariamente indisponível, até ao grito seguinte, seja um grito de corda estridente ou um grito silencioso como o vermelho vivo dum tapete.
beijo grande!

Vertigo disse...

Esta canção... ;)

Tão bem que se está aqui,a poesia tem destas coisas (...)

beijo

Bruna Pereira disse...

Os tapetes também voam. Como o do Aladino... :)
Um beijinho*

Andreia Ferreira disse...

Rita:
Sabes que é mesmo disso que estou a precisar agora... de um grito de corda estridente! Obrigada :) Um beijinho também para ti.

Vertigo:
Ohhhh.... Obrigada. Também gosto muito desta música. É pena ainda não a ter conseguido arranjar para a pôr a tocar aí ao lado! Bj.

Bruna:
Tu não existes. E tenho dito :) Quero um tapete desses! Beijinho grandi!

Abssinto disse...

Aqui é fotografias de qualidade, rica prosa e belas referências musicais. Este sentimento outonal...estou a precisar tanto que até me faz lembrar aquele poema do Cesário Verde sobre o desejo de sofrer. É o spleen!...

bj

Andreia Ferreira disse...

Abssinto:
É este o poema? :

"Nas nossas ruas, ao anoitecer,
Há tal soturnidade, há tal melancolia,
Que as sombras, o bulício, o Tejo, a maresia
Despertam-me um desejo absurdo de sofrer"

Beijo :)

Por entre o luar disse...

Texto lindo** alias como sempre...

Beijinhos grandes***

s. disse...

queria comentar, dizer que sim que sinto isso mas sinto-me demasiado cansado. à falta melhor fica isto.

*

Andreia Ferreira disse...

Por entre o luar:
Oh.. Obrigada. És uma querida! :)

S.:
E já fica tanto... Um abraço!!

Vanessa disse...

Por vezes a palavra representa um modo mais
acertado de se calar do que o silêncio.

Simone de Beauvoir


:) Beijinho*

Abssinto disse...

É exactamente esse! Um dos primeiros que li, ainda nos bancos do ciclo preparório!

bj

Mateso disse...

Pois... abre a janela, ouve as vozes da noite e junta-te a elas... no grito do mundo. Não vale o silêncio mil palavras?

Beijinho.

Letras de Babel disse...

acende sempre uma luz quando te meteres a pensar...



[tenho esta dos Snow Patrol, também]

:)

Pedro Branco disse...

Como eu me perdi por aqui!!

Deslumbrado me mantenho à espera que o tempo me deixe adormecer nestas cores e nestes aromas.

Voltarei com mais calma.

C Valente disse...

Aqui temos um mundo, cheio de sentimentos
Bonitas imagens
Saudações amigas

Arquivo do blogue